Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Quanto Mais Quente Melhor

Doces com coração (e umas coisas salgadas pelo meio). Food porn descarado da cozinha (e das viagens) de uma jornalista doceira.

A única sopa para estes dias de 40 graus

A Proteção Civil alertou, as praias à estão à espera da enchente e na cozinha só se fazem coisas frescas. Sopa não é coisa que combine muito com verão (e com os 40 graus previstos para este fim de semana) mas há uma, uma só, que continua a saber-me bem nestes tempos quentes: a minha sopa de tomate com picadinho de ovo.

 

Se suportarem o calor do fogão durante um bocadinho, vão ver que vale a pena um jantar com esta sopa de vermelho reluzente, com umas pedras preciosas amarelas e brancas no meio. Não custa nada.

 

Eu devo confessar que não tenho quantidades totalmente precisas para vos dar porque costumo fazer a olho. Às vezes junto algum legume que ande a rebolar pela gaveta do frigorífico e que, se seguíssemos o livro de estilo, nem devia entrar ali mas que, no final, até ajuda à festa. Vou tentar quantificar e pôr isto em receita com pés e cabeça.

 

 

Ingredientes:

8/9 tomates maduros

1 curgete grande

2 batatas pequenas

1 cenoura grande

1 cebola

1 dente de alho

1 raminho de manjericão (ou oregãos secos, se preferirem)

Sal q.b

2 ovos

 

Começo por tratar da saúde aos tomates. Coloco-os num recipiente com água acabada de ferver durante uns 30 segundos e depois pelo-os. Este processo faz com que se torne muito fácil tirar a pele aos tomates. Depois corto-os em pedaços, eliminando a maior parte das sementes mas tentando aproveitar parte do sumo.

 

Descasco e corto todos os outros legumos em pedaços de tamanho semelhante e coloco dentro de uma panela juntamente com o alho, o sal e o raminho de manjericão.

 

Coloco água na panela, quase até cobrir os legumes, junto um fio de azeite e levo ao lume. Depois de começar a ferver, diria que demora mais ou menos uns 15 minutos até todos os legumes estarem cozinhados.

 

Tiro a panela do lume e trituro tudo com uma varinha mágica. Agora é tempo de ver se o puré tem a consistência correta. Se estiver muito espesso, junto um pouco mais de água. Levo novamente ao lume durante uns cinco minutos, só para levantar fervura e para que tudo fique bem ligado.

 

Enquanto isto, cozo os ovos, que descasco e pico. No momento de servir o líquido reconfortante, coloco no centro da tigela umas colheradas de picadinho de ovo.

 

Agora é só comer. Mesmo num dia de 40 graus, sabe a prato de verão.